Você está aqui: Página Inicial > Adm. Indireta > AGEVISA > Notícias > Momento Agevisa ressalta orientações do Governo para reforçar barreira contra a febre amarela

Notícias

Momento Agevisa ressalta orientações do Governo para reforçar barreira contra a febre amarela

Em observância à sua missão de órgão promotor e protetor da saúde das pessoas, notadamente ao caráter educativo e preventivo de suas ações, a Agência Estadual de Vigilância Sanitária se valeu de edição do informativo radiofônico Momento Agevisa para reforçar junto à população os alertas contidos na Nota Informativa nº 01/2018, do Governo do Estado, que traz orientações para intensificação das medidas de prevenção à febre amarela em todo o território paraibano. O Momento Agevisa vai ao ar todas as quintas-feiras pela manhã, dentro da programação do Jornal Estadual da Rádio Tabajara (AM-1110 e FM-105.5).

Em observância à sua missão de órgão promotor e protetor da saúde das pessoas, notadamente ao caráter educativo e preventivo de suas ações, a Agência Estadual de Vigilância Sanitária se valeu de edição do informativo radiofônico Momento Agevisa para reforçar junto à população os alertas contidos na Nota Informativa nº 01/2018, do Governo do Estado, que traz orientações para intensificação das medidas de prevenção à febre amarela em todo o território paraibano. O Momento Agevisa vai ao ar todas as quintas-feiras pela manhã, dentro da programação do Jornal Estadual da Rádio Tabajara (AM-1110 e FM-105.5).

Conforme ressaltou a diretora-geral da Agevisa, Maria Eunice Kehrle dos Guimarães, a Nota divulgada pela Gerência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES/PB) se constitui num importante documento que deve ser observado, seguido e divulgado o mais amplamente possível para que para a barreira contra a febre amarela, que vem sendo intensificada desde o início do ano passado, seja ainda mais reforçada em toda a Paraíba.

“A informação, em casos como este, é a nossa principal aliada, pois a população, uma vez conhecedora e consciente da gravidade do problema e dos perigos que ele representa, passa a tomar os cuidados devidos e se torna uma grande aliada dos órgãos governamentais responsáveis pela saúde pública”, enfatizou Maria Eunice.

Nesta primeira abordagem da Nota Informativa nº 01/2018, o Momento Agevisa destacou as recomendações direcionadas aos órgãos públicos e privados, e também às organizações não governamentais que atuam nas áreas de transportes terrestres, portos e aeroportos, no sentido de orientar as pessoas vindas de áreas com transmissão da febre amarela sobre os procedimentos a serem adotados nos casos de suspeita de haverem contraído a doença.

As suspeitas, segundo o documento da SES/PB, devem ocorrer quando forem apresentados sinais e sintomas como febre de início repentino, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas e no corpo em geral, náuseas, vômitos, fadiga e fraqueza. Nestes casos, as pessoas devem procurar imediatamente um serviço de saúde de referência do município para avaliação médica.

Quanto às pessoas que vão viajar para municípios com recomendação de vacinação contra a febre amarela, a orientação é que elas procurem o serviço de referência de seu município para avaliação da situação vacinal. Havendo necessidade da vacina, esta deve ser aplicada com antecedência mínima de dez dias da viagem.

Estados atingidos – Segundo lista de vacinação divulgada pelo Ministério da Saúde, há recomendação de vacina contra a febre amarela em municípios dos Estados de Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Há também recomendação de vacinação contra a febre amarela em Brasília, no Distrito Federal. Portanto, se vão viajar para alguns desses Estados ou para a Capital do País, as pessoas devem procurar os serviços de saúde de referência de sua cidade para saber se precisa ou não tomar a vacina.

Sobre a febre amarela – A febre amarela é uma doença febril aguda, não contagiosa, de curta duração (no máximo 12 dias), cuja letalidade varia de 5 a 10% nos casos oligossintomáticos (com pouco ou nenhum sintoma da doença), podendo chegar a 50% nos casos graves (aqueles que evoluem com icterícia e hemorragias).

A febre amarela tem potencial de disseminação e transmissão bastante elevado e compõe a lista de doenças de notificação compulsória, publicada na Portaria nº 204, de 17 de fevereiro de 2016, do Ministério da Saúde, sendo classificada entre as doenças de notificação imediata, ou seja, que devem ser notificadas em até 24 horas.

Recomendações aos profissionais e serviços de saúde – Na sua próxima edição, o Momento Agevisa falará das recomendações constantes da Nota Informativa nº 01/2018 e direcionadas aos profissionais de saúde e às Secretarias Municipais de Saúde do Estado.

Voltar para o topo
Plataforma Padrão CODATA de Portais
Desenvolvido com o CMS de código aberto Plone