Você está aqui: Página Inicial > Adm. Indireta > AGEVISA > Notícias > Outubro Rosa – Agevisa alerta para possibilidade de o câncer de mama também afetar o homem

Notícias

Outubro Rosa – Agevisa alerta para possibilidade de o câncer de mama também afetar o homem

O câncer de mama também pode afetar os homens. E, nestes casos, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), os resultados podem ser ainda piores do que nas ocorrências relacionadas ao câncer de mama feminino, pois a grande maioria da população masculina sequer imagina ou aceita a possibilidade de que isto possa ocorrer.

O câncer de mama também pode afetar os homens. E, nestes casos, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), os resultados podem ser ainda piores do que nas ocorrências relacionadas ao câncer de mama feminino, pois a grande maioria da população masculina sequer imagina ou aceita a possibilidade de que isto possa ocorrer.

Como parte das atividades relacionadas à Campanha Outubro Rosa, a Agência Estadual de Vigilância Sanitária incluiu o tema em uma das edições do mês de outubro do Momento Agevisa, informativo radiofônico que vai ao ar todas as quintas-feiras dentro da programação do Jornal Estadual da Rádio Tabajara AM (1110) e FM (105.5). A edição foi dedicada aos esclarecimentos sobre o câncer de mama masculino e ressaltou o entendimento de que o conhecimento sobre o problema é fundamental para que se possa, não somente evitar a doença por meio da prevenção, mas, sobretudo, para que as pessoas (notadamente os homens) passem a ter a oportunidade de tratar precocemente a doença caso ela venha a se manifestar, segundo observou a diretora-geral Maria Eunice Kehrle dos Guimarães.

O câncer de mama masculino, conforme o Instituto Nacional do Câncer (Inca), ocorre na ordem de 1% em relação à mesma doença no universo feminino. Ou seja: para cada cem mulheres diagnosticadas com a doença, há uma ocorrência envolvendo um homem. Apesar da enorme diferença percentual, o instituto chama a atenção para o fato de que o câncer de mama masculino mata proporcionalmente mais do que o feminino.

Para dar uma ideia clara da gravidade do problema, o Inca informa que aproximadamente 180 homens morrem todos os anos vitimados pelo câncer de mama, número este equivalente a 36% do total de pessoas do sexo masculino diagnosticadas com a doença. Entre as mulheres, o percentual de mortes é de 25% do total de pacientes diagnosticadas com a doença.

Ainda segundo o Inca, entre as principais causas do câncer de mama em pessoas do sexo masculino estão as alterações genéticas e hormonais, além de alimentação rica em gordura e excesso de álcool. Os sintomas da doença (conforme os especialistas) se apresentam em forma de protuberância ou inchaço, em alguns casos com incômodo e dor; pele ondulada ou enrugada; vermelhidão ou descamação da pele da mama ou do mamilo, e/ou inchaço nos linfonodos (ínguas ou gânglios) axilares.

Diante desses sintomas, a diretora-técnica de Ciência e Tecnologia Médica e Correlatos da Agevisa/PB, Helena Teixeira de Lima Barbosa, disse ser importante que os homens procurem imediatamente um centro médico especializado para realizar os exames e, conforme o caso, iniciar o tratamento. Nos casos de diagnósticos positivos, Helena Lima observa que o câncer de mama em pacientes do sexo masculino geralmente já se encontra em estágio avançado, e isto se deve principalmente ao desconhecimento e à consequente falta de prevenção por parte dos homens.

“Em face da seriedade e gravidade do câncer de mama masculino, os homens devem ficar atentos e procurar se manter cada vez mais informados sobre o problema. Nos casos daqueles que tenham histórico da doença em suas famílias, estes, ao invés de esperar o aparecimento dos sintomas para buscar ajuda médica, devem se consultar com especialistas, pois o histórico familiar aumenta a probabilidade da ocorrência do câncer de mama masculino, da mesma forma que ocorre em relação ao problema no universo feminino. E quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores serão as chances de cura”, enfatizou a diretora-geral da Agevisa/PB, Maria Eunice Kehrle dos Guimarães.

Voltar para o topo
Plataforma Padrão CODATA de Portais
Desenvolvido com o CMS de código aberto Plone